Tags loja virtual

Sépias

A Sépia é um animal tímido, que têm uma vida tanto diurna quanto noturna, alimentando-se de pequenos seres, como camarões, peixes e outros.

A Sépia é um animal tímido, alimenta-se de pequenos seres, camarões, peixes e outros.

Sépias

As sépias, sibas ou chocos são moluscos marinhos da classe cephalopodes (do grego cabeça com pés), da ordem Sepiida, (o nome do gênero é a forma latinizada do grego, sépia = polvo).
As sépias têm uma concha interna, bolsa de tinta, oito braços e dois tentáculos. O polvo não possui concha enquanto que a sépia e a lula têm conchas internas, mais desenvolvidas na sépia e rudimentar na lula. O polvo tem 8 ou 10 tentáculos.

As Sépias, Sibas ou Chocos são moluscos marinhos da classe Cephalopodes

As Sépias, Sibas ou Chocos são moluscos marinhos da classe Cephalopodes

As Sépias têm uma concha interna, bolsa de tinta, oito braços e dois tentáculos.

As Sépias têm uma concha interna, bolsa de tinta, oito braços e dois tentáculos.

As sépias, possuem a capacidade de se camuflar devido à presença de células chamadas cromatóforos; Os cromatóforos possuem uma capacidade de camuflagem considerada superior à de um camaleão. O talento secreto desses animais para a mudança de cor são esses cromatóforos. Essas células pigmentadas contêm cada uma, três bolsas de cor e dezenas de milhares delas cobrem a pele do polvo. Cada cromatóforo é cercado por músculos que mudam a forma de como o pigmento é mostrado, relaxado ou contraído. Outra característica notável das sépias é a capacidade de mudar sua cor para se camuflar ao ambiente, ela consegue fazer isso em poucos segundos. Os nervos causam contrações musculares que regulam o tamanho dessas células, fazendo com que os animais variem a cor da pele e criem padrões de cor que se modificam.

Elas possuem a capacidade de se camuflar devido à presença de células chamadas cromatóforos

Elas possuem a capacidade de se camuflar devido as células cromatóforas.

Células reflexivas na pele, chamadas iridóforos, acentuam ainda mais as impressionantes mudanças de cor

Células chamadas iridóforos, acentuam ainda mais suas impressionantes mudanças de cor

Células reflexivas na pele, chamadas iridóforos, acentuam ainda mais as impressionantes mudanças de cor, espelhando as cores do ambiente a sua volta. Projeções na pele, chamadas papilas, ajudam no disfarce, mudando as texturas para se misturar mais rapidamente com substâncias como o coral ou a areia.

O manto das sépias se compõe de pele grossa e músculos que protegem os órgãos vitais e equipam de propulsão a jato. Quando os músculos no manto se descontraem, a água entra por meio de uma fenda no pescoço e enche as grandes cavidades internas. Quando o manto se contrai, fecha-se a abertura e força-se a saída da água sob alta pressão por meio de uma passagem semelhante a um funil embaixo da cabeça. Por mudar a direção deste “injetor”, a sépia consegue de modo instantâneo mover-se para frente ou para trás sem se virar.

Projeções na pele, chamadas papilas, ajudam no disfarce, mudando as texturas.

Projeções na pele, chamadas papilas, ajudam no disfarce, mudando as texturas.

Os olhos da sépia são similares ao olho humano, ambos possuem pálpebras, córneas transparentes, câmaras anterior e posterior, retinas, cristalinos, células em forma de bastonetes que permitem as imagens em preto e branco e células em forma de cone registrem as impressões de cores. Os 100.000 receptores por milímetro quadrado no olho da sépia fazem com que seja possível ver até os mínimos detalhes.

A sépia é um animal tanto diurno como noturno

A sépia é um animal tanto diurno como noturno

A sépia é um animal tímido, que têm uma vida tanto diurna quanto noturna, alimentando-se de pequenos seres, como camarões, peixes entre outros.

As sépias capturam suas presas e as matam com um mecanismo com sua boca.

As sépias capturam suas presas e as matam com um mecanismo com sua boca.

Depois que capturam suas presas, elas as matam com um mecanismo na sua boca, semelhante a uma faca, com que retalham suas vítimas.

facebook mcientifica

facebook mcientifica

 

Share this:

, , , , , , ,

2 Comentarios

Quer fazer ovo sem casca?

A casca do ovo contém poros que permitem a entrada de ar

A casca do ovo contém poros que permitem a entrada de ar

Em postagens anteriores falamos sobre a formação da casca do ovo e agora vamos te ensinar a fazer uma experiência como num laboratório para fazer um ovo sem a casca. Você pode realizá-la numa sala de aula ou em casa (sempre com a supervisão de uma pessoa maior de idade ou responsável, quando se é menor de idade). Preste bastante atenção às indicações da experiência e divirta-se.

Um pouco mais sobre o ovo

A casca do ovo contém poros que permitem a entrada de ar, o que auxilia o crescimento do embrião, quando o ovo é fecundado. A clara é composta por proteínas de alto valor nutricional, importantes para nosso organismo. A gema é mais rica em nutrientes e contém muitas vitaminas, proteínas e lipídios, além de sais minerais.

Ingredientes para a experiência:

1 um recipiente de vidro ou jarra de boca larga que você possa tampar
2 ovos crus
1 frasco de vinagre branco

Como fazer:

Coloque o ovo dentro do recipiente de vidro e adicione vinagre devagar, até cobrir todo o ovo.

Coloque o ovo dentro do recipiente de vidro e adicione vinagre devagar, até cobrir todo o ovo.

Coloque o ovo dentro do recipiente de vidro, com cuidado para não partir a casca. Adicione vinagre, devagar, até cobrir todo o ovo.

 

Observe até aparecerem várias bolhas na superfície do ovo.

Observe até aparecerem várias bolhas na superfície do ovo.

Observe até aparecerem várias bolhas na superfície do ovo, são elas as responsáveis pela casca dissolver. O que acontecerá em algumas horas de observação do processo.

Repetindo o processo de troca do vinagre até perceber a ruptura da casca e ela ir desaparecendo.

Repetindo o processo de troca do vinagre até perceber a ruptura da casca e ela ir desaparecendo.

Algumas horas depois troque o vinagre do recipiente de vidro, repetindo o processo observando as bolhas até perceber a ruptura da casca até ela ir desaparecendo aos poucos, dissolvendo junto com as bolhas.

Retire o ovo com cuidado quando for retirar o vinagre, lave até retirar todo resíduo da casca.

Retire o ovo com cuidado quando for retirar o vinagre, lave até retirar todo resíduo da casca.

Retire o ovo com cuidado do recipiente de vidro, segure o ovo com os dedos quando for retirar o vinagre, lave bem o ovo até retirar todo resíduo de casca. Ele ficará bem diferente e seu contato com as mãos terá que ser muito delicado.

 

Observe o ovo sem a casca.

Observe o ovo sem a casca.

Observe o ovo sem a casca, ele estará muito diferente do início do processo, frágil e delicado. Toda sua proteção contra o meio ambiente foi destruída e você entenderá o processo científicamente no final do texto.

Coloque o ovo contra a luz e você poderá ver a gema dentro do ovo.

Coloque o ovo contra a luz e você poderá ver a gema dentro do ovo.

Coloque o ovo contra a luz e você poderá ver a gema dentro do ovo, com muito cuidado para não romper sua película protetora. É uma experiência divertida e de fácil realização.

Agora você tem um ovo sem a casca, um "ovo pelado".

Agora você tem um ovo sem a casca, um "ovo pelado".

Agora você tem um ovo sem a casca. Compare nosso ovo pelado com um ovo com casca, seu formato, textura, cor e resistência estão diferentes, isso numa observação simples, só com um simples olhar.

Quer saber o que aconteceu?

As bolhas que se formam durante a reação é do gás carbônico (CO2).

As bolhas que se formam durante a reação é do gás carbônico (CO2).

Foi uma reação química que liberou um gás (as bolhas que saíam da casca). O vinagre contém ácido acético em sua composição e esse ácido reage com o composto de carbonato de cálcio que é responsável pela formação da casca do ovo.
As bolhas que se formam durante a reação é do gás carbônico (ou dióxido de carbono) que em química, é representado por CO2. Quando toda a casca é consumida pela reação com o ácido do vinagre, o ovo mantém sua forma, porque contém uma película em volta da clara.
Depois de tirar a casca, você pode segurar o ovo mas sempre com muito cuidado para não romper a membrana que mantém a forma do ovo, porque sem a casca ele fica muito frágil.

fonte: www.bioqmed.ufrj.br/ciencia e http://izismile.com

 mcientifica

mcientifica

 

Share this:

, , , , , ,

1 Comentario

Cinesioterapia – A arte da cura

Cinesioterapia – A arte da cura, é uma terapia que faz uso dos exercícios (movimentos corporais) como um eficaz recurso de cura. A cinesioterapia é definida etimologicamente como a arte de curar, utilizando todas as técnicas do movimento.
Cinesioterapia: Cinesio = Movimento, Terapia = Tratamento.

Cinesioterapia - A arte da cura

Cinesioterapia – A arte da cura

Tipos de cinesioterapia:
Ativa Livre – Onde o paciente executa todos os movimentos sem que se interfira nos movimentos.
Ativa Assistida – Onde o paciente recebe ajuda na finalização de cada movimento, o paciente não possui o arco de movimento completo.
Ativa Resistida – Quando se coloca algum tipo de força ou peso resistindo ao movimento pretendido.
Passiva – Quando se executa o movimento pelo paciente.

GymnicPlus 65cm

GymnicPlus 65cm

Objetivo
Manutenção ou ganho de todo arco articular e um trabalho de estimulação proprioceptiva.
Mobilização: Com o objetivo de interferir nas estruturas articuladas com um tipo de tracionamento, liberando áreas de atrito nessas mesmas superfícies (ex: técnica de Codman).
Manipulação: Readiquirir a integridade de todas as articulações, tanto a nível vertebral, como em articulações como a do joelho e tornozelo. É um exemplo de cinesioterapia passiva, onde o paciente tem que estar totalmente relaxado.

Cinesioterapia – A arte da cura

Os trabalhos realizados, obedecem a um determinado padrão dependendo de cada patologia; podem-se usar vários tipos de contrações:
Isométrica – Sem movimento no seguimento – É realizada numa fase inicial.
Isotônica – Com movimento no seguimento; Pode ser: concêntrica (ação do músculo vencendo uma resistência) ou excêntrica (quando os seguimentos se afastam).

Benefícios dos Exercícios:
Fortalece o coração e os pulmões
Evita e combate a depressão, ansiedade e insônia
Controla a pressão arterial
Alivia o estresse e a tensão do dia-a-dia;
Abaixa o colesterol ruim e aumenta o bom.
Fortalece os ossos, evitando a formação de osteoporose;
Prevensão contra a diabetes
Favorece a agilidade, a flexibilidade e os reflexos
Ajuda como auxiliar terapêutico para qualquer outro tratamento;
Auxilia nas terapias para libertação de vícios
Prolonga a vida e deixa o praticante com aspecto mais jovem.

 

Cinesioterapia - A arte da cura

mcientifica

 

Share this:

, , , , , ,

3 Comentarios

Ginástica Laboral

Como implantar um programa de Ginástica Laboral

Os princípios básicos de um programa de ginástica laboral para os interessados em implantá-lo em sua empresa estão divididos em seis tópicos.

1. Análise do Local de Trabalho
2.
Análise Cinésiologica nos Postos de Trabalho
3.
Palestra de Sensibilização
4.
Prescrição dos Exercícios
5.
Avaliar a Implantação da Ginástica Laboral
6.
Apresentação de Relatórios

Ginástica Laboral

Ginástica Laboral

1. A análise do local de trabalho – Deve ser baseada em princípios ergonômicos*.
*Ergonomia: a ciência de projetar o trabalho, os equipamentos e local de trabalho para adequá-lo ao trabalhador.

Estar ergonomicamente correto, para que no final do expediente o trabalhador não tenha dores na coluna cervical ou outros efeitos maléficos que uma postura incorreta originada diante de um  computador. Além disso, a intervenção ergonômica facilita a execução do trabalho adequando o ambiente e objetos ao trabalhador.

Ginástica Laboral

Ginástica Laboral

“Melhor condição de trabalho, maior será a produtividade”

2. A análise cinésiologica* – Nos postos de trabalho avalia quais os músculos são os mais requisitados para execução de cada serviço e os tipos de movimentos, atividade mental, atividade visual que cada posto de trabalho exige. É uma análise de extrema importância, porque ela dará parâmetros para a execução da ginástica laboral. Além de revelar se o trabalhador estará propício a ter L.E.R. (Lesões por Esforços Repetitivos) ou algum outro D.O.R.T. (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho).

*Cinesiologia : É a ciência que analisa os movimentos, ela estuda os movimentos do corpo humano. O nome Cinesiologia vem do grego kínesis = movimento + logos = tratado, estudo. A cinesiologia estuda o corpo humano e a sua maneira de movimentar-se.  fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cinesiologia

“Este serviço foca a redução de afastamentos e absenteísmo”

3. A palestra de sensibilização – Garantirá a participação e engajamento dos trabalhadores no programa de ginástica laboral, esclarecendo as dúvidas, abordando temas relacionados à qualidade de vida no trabalho e orientando-os para hábitos de vida saudáveis.

Ginástica Laboral

Ginástica Laboral

“Um funcionário equilibrado e saudável trará mais benefícios e rendimentos para empresa”

4. A prescrição dos exercícios – Será realizada de acordo com cada posto de trabalho, visando aquecer, fortalecer e compensar as estruturas físicas mais utilizadas no dia a dia do funcionário.

5. A avaliação da implantação da Ginástica Laboral – Será conseguida durante as aulas e servirá de feedback*, reconhecendo possíveis transtornos e limitações o que possibilitará melhorias ao programa de ginástica laboral. * feedback (retorno de informação)

6. A apresentação de resultados – Considerar os pontos fortes e fracos do programa que deverão ser apresentados à empresa que investiu no programa após um período de tempo pré-determinado numa prestação de contas do que foi realizado e servindo de base para sua continuidade.

Exemplos de relatórios:

  • Nível de participação dos funcionários (controle de presença – lista de chamada)
  • Índice de ausências, afastamentos e rotatividade.
  • Nível de atividade física dos funcionários
  • Avaliação da qualidade de vida dos trabalhadores
  • Avaliação da percepção e intensidade de dor
  • Estes relatórios podem variar de acordo com as necessidades da empresa.

fonte: http://charllessq.blogspot.com/2011/01/como-implantar-ginastica-laboral-na.html

mcientifica

Share this:

, , , , , , ,

Sem Comentarios

Pilates com bola

Pilates com bola

Exercícios de Pilates com bola

A aula de Pilates com bola controla picos de ansiedade e depressão ocasionados pelo estresse do dia a dia. Mais do que um exercício físico é um exercício mental, que tem como objetivo trabalhar a mente associada ao corpo e trazer benefícios para a postura, trabalha uma notável melhora no equilíbrio e coordenação motora, além da satisfação e diversão proporcionadas pela prática dos exercícios.

Os benefícios do Pilates com bola, associados aos exercícios com bola, tornam a aula ainda mais divertida e os resultados são rápidos e aparentes porque tonifica e define músculos, melhora a flexibilidade e harmoniza as formas do corpo.

Os exercícios do Pilates com bola fazem com que a aula seja praticada por pessoas de diferentes níveis de condicionamento, as que se recuperam de lesões como também as que estejam em plena forma. No Pilates com bola, trabalham-se as camadas mais profundas da musculatura de maneira muito eficaz, os exercícios são apresentados de forma bem simples, deixando de usar as séries com repetições. Os movimentos são contínuos e o grau de dificuldade é gradativo. Todos esses exercícios requerem muita precisão e concentração, sempre regulados pela inspiração e expiração corretas.

 

 

 

Share this:

, , , , , , ,

Sem Comentarios

Fisioterapia

A Fisioterapia é a ciência da saúde que estuda, diagnostica, previne e trata os distúrbios do movimento humano decorrentes de alterações de órgãos e/ou sistemas. Tem por objetivo promover, aperfeiçoar ou adaptar o indivíduo à melhoria de qualidade de vida, seu objetivo principal é preservar, manter, desenvolver ou restaurar (reabilitação) a integridade de órgãos, sistema ou função.

Fisioterapia

Archimedes

A fisioterapia pode ser administrada em consultórios, clínicas, centros de reabilitação, asilos, escolas, clubes, residências, hospitais, empresas, pesquisas.
Três princípios básicos da fisioterapia: Prevenção, Reabilitação e Reintegração.
Prevenção:  
A aplicação da fisioterapia proporciona prevenções primárias, secundárias e terciárias. Mesmo antes de a doença de expor seus sinais e sintomas, podem ser desenvolvidas intervenções preventivas. Em indivíduos em recuperação de lesões e ou disfunções, podem ser desenvolvidas ações de prevenção complexas como a incapacidade respiratória em casos de uma vitima num quadro neurológico agudo. Na saúde comunitária as ações preventivas para minimização de disfunções nas doenças crônico-degenerativas, prevenção de condições biomecanicamente desfavoráveis, aprendizados de postura.
Reabilitação:
É o método que se propõem a reabilitar a pessoa para seu retorno a vida social. Tem por objetivo desenvolver os movimentos e funções comprometidas depois de uma doença em tenha exigido sua imobilização.
Reintegração:
O objetivo da fisioterapia é reintegrar a pessoa à sociedade. É a estimulação do potencial neurológico em pessoas que sofreram sequelas irreversíveis (perda de membros, lesões neurológicas) e sua adaptação. A reintegração se dá mediante o treinamento e adaptação dos pacientes às suas potencialidades.

mcientifica

Share this:

, , ,

Sem Comentarios

Mcientífica cria sua mascote

Mcientífica cria sua mascote, a origem do termo Personagem, é derivado do latim “persona” que significa máscara, e do grego “prosopon” que significa rosto e é utilizado no teatro como o jogo entre o verdadeiro e o falso. Na antiguidade clássica os atores entravam muitas vezes em cena disfarçados com máscaras que à partida, marcavam a diferença ente o ator (pessoa) e o seu papel a representar, a sua personagem. A mesma raiz etimológica deu origem à palavra pessoa.
Mcientífica cria sua mascoteMcientífica cria sua mascote
O texto narrativo é feito através do diálogo entre personagens. Na verdade, a história é contada através das ações tomadas por eles. Por esse motivo, os personagens são fundamentais para compor uma boa história.
Mas como identificar um personagem? Através de suas ações, como foi dito e também pelos pensamentos, sentimentos e características expostos.

Mcientífica cria sua mascote

Mcientífica cria sua mascote

a) O que faz o personagem? Quem ele é?
b) O que o personagem está falando? Qual o assunto? O que ele quer expressar?
c) O que o personagem está sentindo? Qual a posição dele a respeito do que sente?
d) Quais são as características físicas do personagem?
e) Quais são as características psicológicas da personagem?
f) Em que lugar a personagem está?

A respostas a essas perguntas farão com que entendamos perfeitamente quem é ele e o sentido de suas atitudes.
Talvez o passo mais importante para a criação de um personagem seja o de saber qual é a sua necessidade. O que esse personagem quer? Todo personagem precisa de um objetivo.
Queremos que o observador, o internauta, o espectador sinta ao ver nosso personagem muita alegria. Você vai achar nosso personagem simpático, vai se importar e vai torcer por ele.

Mcientífica cria sua mascote

Tom, o átomo

Mcientífica cria sua mascote, Tom este é o nome do pequeno átomo que agora vai estar a frente dos posts do nosso Blog, das ofertas de nossa loja virtual de produtos de laboratório e dando seus recados no facebook.
A importância de apresentarmos um personagem simbolizando nossa empresa (nosso mascote) é a facilidade de comunicação com o internauta, tornando mais afetiva a convivência diária, concentrando nossa atenção para suas ações nas diversas mídias em que atuamos.

Mcientífica cria sua mascote

Agora é só acompanhar os passos do nosso mascote, Feliz Natal e um ótimo Ano Novo. Dê uma passadinha no nosso site já estamos com o novo layout de Natal.

 

Share this:

, , , , ,

1 Comentario

Alexander Fleming

Alexander Fleming

Alexander Fleming – 06/08/1881 Lochfield, Ayrshire, Escócia 11/03/1955, Londres, Inglaterra

Alexander Fleming – A penicilina

Alexander Fleming chegou à descoberta da penicilina e de suas propriedades antibióticas em 1928, ao observar uma cultura de bactérias do tipo estafilococo e o desenvolvimento do mofo a seu redor, onde as bactérias circulam livres. O laboratório de Alexander Fleming estava habitualmente bagunçado, o que resultou em uma grande vantagem para sua importante descoberta. Em Setembro de 1928, Fleming estava realizando vários experimentos em seu laboratório e ao inspecionar suas culturas antigas antes de destruí-las notou que a colônia de um fungo havia crescido espontaneamente, como um contaminante, numa das placas de Petri semeadas com Staphylococcus aureus. Fleming estava prestes a lavar as placas, quando Merlin Pryce, seu antigo assistente, entrou no laboratório e lhe perguntou como iam suas pesquisas. Fleming apanhou novamente as placas para explicar alguns detalhes e então percebeu que, em uma das placas, havia uma área transparente ao redor do mofo, indicando que não havia bactérias naquela região. Aparentemente, o fungo que tinha causado o mofo estava secretando uma substância que matava as bactérias.

Alexander Fleming identificou esse fungo como Penicillium notatum e por isso, chamou a substância produzida por ele de penicilina. Posteriormente, descobriu-se que a penicilina matava também outros tipos de bactérias e o melhor: ela não era tóxica para o corpo humano, o que significava que poderia ser usada como medicamento.
Alexander FlemingAlexander FlemingAlexander Fleming

Ainda que tenha reconhecido imediatamente a importância deste seu achado, seus colegas subestimaram-no, como sempre acontece com as grandes descobertas que mudaram o mundo. Aprofundando sua pesquisa, Alexander Fleming constata que uma cultura líquida de mofo do gênero Penicillium evita o crescimento dos estafilococos. Publica os resultados desses estudos no British Journal of Experimental Pathology em 1929, mas não obtém reconhecimento nem recursos financeiros para aperfeiçoar o produto durante os anos seguintes.

No entanto, o antibiótico despertou o interesse dos investigadores norte-americanos, que durante a Segunda Guerra Mundial tentavam imitar a medicina militar alemã que possuía as sulfamidas. Os farmacêuticos Ernst Boris Chain e Howard Walter Florey descobriram o método de extração e purificação da penicilina como também os ensaios clínicos. Howard Walter Florey, Ernest Boris Chain e Norman Heatley foram os grandes responsáveis para transformar a penicilina em medicamento antibiótico, porém isso somente foi possível após Fleming ter tomado os créditos pela pesquisa clínica gerenciada por Florey.

A produção industrial começou nos Estados Unidos (EUA) no início da II Guerra Mundial. Fleming, Florey e Chain recebem juntos o Nobel de Fisiologia e Medicina de 1945. Alexander Fleming não patenteou sua descoberta, pois achava que assim seria mais fácil a difusão de um produto necessário para o tratamento das numerosas infecções que castigavam a população.

por Ethel Leontine Gabain, óleo sobre tela, 1944

Curiodades
Alexander Fleming foi membro do Chelsea Arts Club, clube privado para artistas fundado em 1891 por sugestão do pintor James McNeil Whistler. Conta-se que Fleming foi admitido no clube depois de realizar “pinturas com germes” e que estas pinturas consistiam em pincelar o lenço com bactérias pigmentadas, as quais eram invisíveis no início, mas que surgiam com intensas cores quando incubadas e crescidas. As espécies bacterianas que utilizava eram:
Serratia marcescens – cor vermelha
Chromobacterium violaceum – cor púrpura
Micrococcus luteus – cor amarela
Micrococcus varians – branca
Micrococcus roseus – cor rosa
Bacillus sp. – alaranjada

Share this:

, , , ,

1 Comentario

Follow

Get every new post delivered to your Inbox

Join other followers